Cases

Bradesco S/A. – Sistema de Gerenciamento de Metas

Problema: Os gerentes de produtos que atendem as agências do banco em todo o Brasil enviavam as informações em planilhas do Microsoft Excel para o e-mail do coordenador do Departamento de Empréstimo e Financiamento.
O coordenador além do grande número de planilhas recebidas, e com o tempo todo de serviço tomado para tratar essas informações, gerava outro grande número de novas planilhas.
As informações sempre estavam com um atraso de dois meses, impedindo qualquer atuação sobre metas não contempladas.
O trabalho braçal de copiar e colar também deixavam as informações muitas vezes inconsistentes.

Solução: Desenvolvimento de aplicação Windows em Visual Studio .NET para gerenciamento das regras de métricas, ranque, acompanhamento das metas, interação com a parte Web e apoio aos gerentes em campo.
Uma aplicação Web utilizada pelos gerentes via internet, utilizando um computador ou tecnologia mobile, o envio de informações feita através do site e recebida no departamento de empréstimo na central do Bradesco.

Resultado: Diminuição do trafego de e-mails com planilhas, informações precisas e on-line, toda equipe com números imediatos facilitando a tomada de decisões e ações sobre as metas não atingidas.

Vale S/A – Ambiente de Business Inteligence (B.I.)

Problema: Servidor de SQL Server somente sendo utilizado para a aplicação administrativa, sem os devidos serviços para geração de informações para tomada de decisões e abastecer a bolsa de valores.

Solução: Treinamento de imersão com o colaborador responsável pelo banco de dados e passagem das informações.
Estabilização do servidor de banco de dados SQL Server 2005 para melhorar o desempenho, verificação de toda base de dados, ajustando com as melhores práticas da Microsoft o processos da aplicação de produção.
Implantação do ambiente de DWH com SQL Analysys Service, SQL Reporting Service e SQL Information Service.
Criação da base de dados DWH com informações de produção no Analysys Server, utilizando a transferência de dados automatizada com Information Service e geração de relatórios com o Reporting Service.

Resultado: Colaborador ficou capacitado em um mês a dar andamento ao novo ambiente para geração das informações on-line com a produção.

MIS – Museu de Imagem e Som de São Paulo e Paço das Artes.

Problema: Não existia nenhuma rede corporativa, cada colaborador utilizava seu computador como um desktop pessoal, assim como as impressoras.
Internet utilizada sem controle com links para pessoas físicas como Net, Telefonica, etc…
Nenhum sistema centralizado, os processos que tinham necessidade de controle eram todos feitos à mão.

Solução: Engenharia da Rede corporativa, estruturação lógica e física, uma das primeiras redes gigabits de São Paulo, com servidores de e-mail, impressão, arquivos, segurança de rede utilizando os servidores da Microsoft, na parte física parceria com Furukawa e servidores DELL. Contando também com link business para internet em cada ponto e um link business em VPN entre os dois museus.
Desenvolvimento interno de sistemas para os processos manuais, utilizando Microsot SQL Server e Visual Studio .Net.

Resultado: Com a mudança de toda a estrutura os colaboradores começaram a ter mais recursos tecnológicos, não tendo mais problemas de lentidão com internet, cada departamento contando com seus recursos como impressoras e acesso aos arquivos centralizados.
O link de VPN entre os museus permitiu que o colaborador estivesse prestando serviço em qualquer um dos pontos e continuar com o acesso integral aos seus arquivos e recursos.
OBS: O fator mais custoso foi realmente mudar a cultura dos colaboradores que tinham os equipamentos como “deles” já que eram todos muito pessoais. Após essa fase tudo ficou tranquilo de implantar.

Vega do Sul – Sistema de Contingência para Controle de Produção.

Problema: Toda a produção era controlada com planilhas do Microsoft Excel, tendo vários links com planilhas de normas ABNT, como as planilhas começaram a ficar com tamanho excessivo e um número de links muito alto o sistema travava e não permitia alterações por mais de uma pessoa por vez.
Foi desenvolvido pelo colaborador responsável pela produção na fabrica para esperar o sistema oficial vindo da França, com o atraso desse sistema fez-se necessário criar um sistema de contingência.

Solução: Sistema desenvolvido em Visual Studio e SQL Server, por questão de segurança optamos por um sistema Windows com acesso somente via VPN.
A empresa recebia bobinas de aço com toneladas e fazia o beneficiamento do aço nessa fábrica. O sistema tinha o controle de especificação dos produtos a serem colocados em produção, sempre utilizando uma parte dessa bobina, passavam pelo beneficiamento dentro das normas ABNT e depois seguiam para empresas automobilísticas e de eletrodomésticos.
Com integração com outros sistemas (importação e exportação de dados) entre as bases de produção da fábrica sistema em Oracle e as bases do Administrativo sistema em SAP.

Resultado: Todos os colaboradores envolvidos na produção podiam acessar seus dados e alterá-los sem a necessidade de espera, além de não dependerem mais de retrabalho para digitação das espessuras necessárias pelas normas ABNT exigidas para o beneficiamento, o sistema incorporou as normas utilizadas.
O sistema de fábrica Oracle gerava arquivos que o sistema de contingência importava, tratava todos os dados com a produção feita e exportava para o sistema SAP para o departamento administrativo fazer o faturamento e liberação dos caminhões com o produto final. Processo também custoso com as planilhas anteriores.
Facilidade de acesso via VPN para colaboradores em transito já que muitos deles ficavam entre Brasil e França.
Sistema permaneceu em produção até o sistema oficial ser implantado, infelizmente com muito menos recursos que o de contingência.